10/06/2021

Campos do Jordão: um lugar marcado por curiosidades

O nome atual da cidade faz referência a um homem que tinha terras no local, o brigadeiro Manoel
Foto Governo do Estado de São Paulo via Wikimedia - Matéria Campos do Jordão - BLOG LUGARES DE MEMÓRIA
Rodrigues Jordão. Já seu fundador foi Mateus da Costa Pinto – um fazendeiro que comprou parte dessas terras e nelas construiu uma capela, uma escola e uma venda. Tanto Jordão como Mateus eram portugueses, mas Campos do Jordão acabou conhecida como a Suiça brasileira. E essa é apenas uma das curiosidades que envolvem sua história.

A pequena vila foi fundada em 1874 e batizada como São Matheus do Imbiri por estar localizada ao lado de um ribeirão e de um pico que tinham esse nome. Cerca de duas décadas depois,
Foto Bigode45 na wts wikivoyage - Matéria Campos do Jordão - BLOG LUGARES DE MEMÓRIA
passou a ser chamada de Vila Jaguaribe em homenagem a um fazendeiro que comprou terras na região. Inicialmente, era apenas mais um vilarejo sem qulquer diferencial, mas seu clima frio e seco seria responsável por importantes transformações.

O ciclo da saúde


O impulso foi dado pela criação de sanatórios para tratamento de doenças pulmonares – uma ideia do médico sanitarista Emílio Ribas, que havia passado um período na Europa estudando a tuberculose. Na época, o mundo vivia uma epidemia dessa doença, que era responsável por 70% das mortes por infecções no Brasil, e acreditava-se que o ar seco e frio das montanhas era capaz promover a cura dos problemas respiratórios, um tratamento conhecido como climatoterapia.

Foto Domínio Público - Matéria Campos do Jordão - BLOG LUGARES DE MEMÓRIA
Para viabilizar seu projeto, Ribas uniu-se a outro sanitarista, Victor Godinho, e juntos iniciaram a construção de uma estrada de ferro que facilitasse aos doentes a subida da serra, até então feita a pé ou em burros. Eles não tiveram fôlego para concluir a ferrovia, mas a obra foi encampada pelo governo e inaugurada em 1914. No ano seguinte, a vila seria elevada a distrito de São Bento de Sapucaí, já com seu nome definitivo: Campos do Jordão.

Durante quase cinco décadas, a cidade acolheu doentes que chegavam não apenas para os sanatórios, mantidos por instituições de caridade, mas também para casas de repouso, pensões e residências. Pessoas famosas como Monteiro Lobato e Nelson Rodrigues, teriam passado por lá. Mas, a partir dos anos 1950, o tratamento da tuberculose passou a ser feito com a penicilina surgida na década anterior, e a procura por Campos do Jordão tornou-se cada vez menor.

Foto Mike Pee via Wikimedia - Matéria Campos do Jordão - BLOG LUGARES DE MEMÓRIA

O ciclo do turismo

Enquanto diminuía a procura pelos centros de saúde, surgia no local outra modalidade de hospedagem, desta vez voltada para o turismo. O frio e o clima seco continuavam sendo os atrativos, mas agora para descanso e lazer. Um novo zoneamento da cidade isolou os sanatórios e conta-se que alguns hotéis chegaram a colocar máquinas de raio x em sua entrada para garantir que ali não entraria nenhum tísico – nome dado aos doentes de
Foto Prefeitura de Campos do Jordão - Matéria Campos do Jordão - BLOG LUGARES DE MEMÓRIA
tuberculose.

No mesmo período, ou talvez um pouco antes, começaram a surgir construções em estilo europeu, o que acabou contribuindo para a imagem de Campos do Jordão como destino turístico de inverno. A utilização desse tipo de arquitetura é justificada por muitos pela necessidade de adaptar as residências ao clima da montanha ou pela chegada à região de colônias alemãs. Mas é possível que as casas feitas com madeira, tijolos aparentes e telhados triangulares tenham surgido com o objetivo de atrair turistas. Sinal disso seria o
Foto Governo do Estado de São Paulo via Wikimedia - Matéria Campos do Jordão - BLOG LUGARES DE MEMÓRIA
fato de muitas delas não seguirem a técnica construtiva das casas europeias de montanhas, conhecida como Enxaimel, mas apenas sua aparência. 

Sejam quais forem as razões de seu surgimento, a arquitetura europeia de Campos do Jordão contribuiu para que a cidade recebesse, em 1957, durante um congresso de climatologia realizado em Paris, o título de Suiça Brasileira. A atmosfera europeia foi aos poucos tomando conta da cidade e ganhou reforço com a criação, em 1970, do famoso Festival de Inverno. A cidade ficou conhecida, também, por suas malharias e pela culinária serrana onde predominam pratos suíços e alemães.

Imagem FORETES - Matéria Campos do Jordão - BLOG LUGARES DE MEMÓRIA
Uma lenda local


E como se não bastassem suas histórias reais, Campos do Jordão tem inúmeras lendas. A mais famosadelas, que até virou música, é a Lenda dos Três Pinheiros e gira em torno de Inácio Caetano Vieira de Carvalho, o primeiro morador das terras onde foi fundada Campos do Jordão.

Segundo se conta na cidade, Inácio Caetano era muito sovina e acabou acumulando um grande tesouro em moedas e pó de ouro. Um dia, já velho, juntou tudo o que possuía e foi até o bairro do Rancho Alegre acompanhado por um escravo. Parou diante de três pinheiros e ordenou ao escravo que cavasse um buraco no centro geométrico entre os três. Guardou o tesouro no buraco e cobriu com terra. Depois matou o escravo para não ter testemunhas.

Quando Inácio Caetano morreu, os moradores de Campos do Jordão passaram anos procurando o ouro enterrado, mas o local que antes tinha apenas três pinheiros, havia se transformado em um imenso pinheiral e era impossível descobrir o local exato. E, desde então, todas as sextas-feiras, no bairro onde o tesouro está enterrado, também chamado de Lomba Larga, o velho aparece com roupa e chapéu pretos, cavalgando em um cavalo também preto, e fazendo a seguinte pergunta: “Lomba Larga, Lomba Larga, Três Pinheiros, onde estão meus dinheiros?”

E para provar que tudo isso é verdade, quem conta essa lenda faz questão de lembrar que os três pinheiros estão registrados na bandeira de Campos do Jordão.


Campos do Jordão - Serra da Mantiqueira - São Paulo - Brasil - América do Sul


Texto: Sylvia Leite
Jornalista - MTB: 335 DRT-SE / Linkedin / Lattes

Fotos:

(1, 6) Governo do Estado de São Paulo, Wikimedia, CC BY 2.0 e Wikimedia , CC BY 2.0, 
(2) (WT-compartilhado) Bigode45 na wts wikivoyage, Wikimedia , CC BY-SA 1.0
(3) Domínio público
(4) Mike Pee via Wikimedia, CC BY-SA 4.0
(5) Prefeitura de Campos do Jordão
(7)  FORTES, Wikimedia, Domínio Público, 




Sugestão de leitura: Para saber o que fazer em Campos do Jordão, leia a postagem  Campos do Jordão: roteiro de 2 ou mais dias postado pelo blog Diário de Uma Viajante.

-----------------------------------------------------
Gostou da matéria?
Compartilhe com os amigos nas redes sociais.
Você também pode deixar um comentário a seguir, expressando sua opinião.

Para ler sobre outros 'lugares de memória', clique nos links abaixo:

6 comentários:

  1. Eu adoro uma lenda!!! Não conhecia...
    Já estive 2 vezes em Campos do Jordão e não me canso. É sempre uma experiência maravilhosa!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Campos do Jordão tem várias, mas a dos três pinheiros é a mais significativa.

      Excluir
  2. Eu não conhecia a história de Campos do Jordão e gostei muito! Bastante interessantel

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou. Toda semana tem matéria nova no blog. Acompanhe!

      Excluir

Obrigada por seu interesse em nossa postagem!