22/10/2020

Mausoléu de Yasawi: lugar de instrospecção e modelo arquitetônico

A construção tem mais de seis séculos e até hoje não ficou pronta nem há sinais de que um dia possa
Foto By Yuriy75 - Treball propi - Matéria Mausoléu Yasawi - BLOG LUGARES DE MEMÓRIA
ficar*. Mesmo assim, sempre recebeu visitantes de toda a Ásia Central que chegam em busca da baraka (benção) do poeta e ‘santo’ sufi Khoja Ahmed Yasawi. É que de acordo com essa ‘filosofia’ mística, conhecida como sufismo, as tumbas de seus santos concentram uma espécie de energia espiritual que pode ser experimentada pelos que as visitam**. A simples divulgação dessa particularidade já seria motivo suficiente para atrair visitantes do mundo inteiro, mas desde 2013, quando foi listado pela Unesco como Patrimônio Mundial da Humanidade, o Mausoléu de Yasawi, – localizado na cidade de Yasi (atual Turquestão), no Cazaquistão –, passou 
Foto By Yuriy75 - Treball propi - Matéria Mausoléu Yasawi - BLOG LUGARES DE MEMÓRIA
a ser procurado também por interessados em sua história e na beleza de sua arquitetura.

Mesmo com o aumento de público e a diversificação dos motivos que conduzem cada um até ali, a visita ao mausoléu parece manter uma certa aura de introspecção, condizente com sua função original. Para se chegar até a porta do prédio, é preciso caminhar ao longo de um enorme jardim, com roseirais nas laterais, o que pode proporcionar aos mais suscetíveis uma experiência meditativa estimulada pelas formas, perfumes e cores; e, aos mais céticos, um exercício de paciência.
Foto By Yuriy75 - Treball propi - Matéria Mausoléu Yasawi - BLOG LUGARES DE MEMÓRIA
Nas laterais externas, um novo convite à meditação: as paredes de grande extensão, assim como uma das cúpulas, são inteiramente cobertas por padrões geométricos**** compostos por pequenos ladrilhos artesanais. Esse tipo de decoração tornou-se uma marca registrada da arquitetura islâmica e, por seu significado simbólico, repleto de referências cósmicas - nesse caso acrescido de inscrições em diferentes tipos de  caligrafia árabe - é considerada uma espécie de oração visual.

Lá dentro, é possível ter novos impactos seja pela grandiosidade da cúpula – considerada a maior da Ásia Central, com 12.8 metros de diâmetro por 28 metros de altura - , seja pela sensação de bem estar que os visitantes dizem sentir ao se aproximarem do enorme caldeirão de bronze que fica abaixo dela e em torno do qual os peregrinos fazem as circunvoluções***. Segundo a explicação de discípulos do mestre Yasawi, o estado de completude percebido pelos visitantes nada mais é que a energia espiritual ou bênção (baraka).   

Foto Door Ulasgoc - Eigen werk- Matéria Mausoléu Yasawi - BLOG LUGARES DE MEMÓRIA
O místico e poeta lendário


Yasawi costuma ser citado entre os mais destacados mestres do sufismo na Ásia Central. Foi aluno do mestre Yusuf Hamadani, dirigiu a Ordem Naqshband em Bukhara, no vizinho Uzbequistão, e fundou a primeira ordem turca sufi, a Yasawiyya ou Yaseviye.

Assim como outros mestres sufis medievais – entre os quais se encontram Jalaludin Rumi e Ibn Arabi - Yasawi também se dedicou à poesia. Acredita-se que tenha sido o primeiro poeta conhecido a 
Foto domínio público- Matéria Mausoléu Yasawi - BLOG LUGARES DE MEMÓRIA
escrever em um idioma túrquico, ou torcomano, e a ele se atribui a autoria do Livro da sabedoria (Divan-i Ḥikmet), que reúne poemas em turco e é considerado uma relíquia religiosa de literatura sufi. 

A importância de Yasawi como mestre espiritual talvez possa ser dimensionada pelas lendas que envolvem seu nome. Uma delas diz que o profeta Muhammad estava comendo tâmaras com seus discípulos, quando uma delas caiu do prato e, nesse momento, ele ouviu uma revelação: “Esta é para o muçulmano Ahmad (Yasawi) que nascerá 400 anos depois de você”.

Foto upyernoz from Haverford, USA - Matéria Mausoléu Yasawi - BLOG LUGARES DE MEMÓRIA
Outra lenda conta que Tīmur ibn Taragay Barlas – imperador de origem turco-mongol conhecido como Tamerlão (ou Timur, o coxo) –, teve um sonho em que Yasawi fazia boas previsões sobre uma batalha empreendida por suas tropas visando a conquista de Bukhara. Estimulado pelo sonho, ele partiu para a luta a foi vitorioso. Então viajou ao Cazaquistão a fim de visitar o túmulo de Yasawi e decidiu construir no local um imponente mausoléu.

A última lenda explica um acontecimento real. De fato, o atual Mausoléu de Yasawi foi erguido a mando de Tamerlão que, segundo se conta, participou efetivamente da construção, iniciada em 1389. Com sua morte, quinze anos depois, houve a dissolução do império construído por ele – conhecido como Timúrida – e a obra foi interrompida. Mas os 15 anos de trabalho, tocado por mestres construtores persas, foram suficientes para erguer uma estrutura de 38,7 metros de altura, com trinta e cinco quartos que são usados para diferentes funções, e que funciona simultaneamente como Mausoléu e mesquita.

Foto Petar Milošević - Treball propi - Matéria Mausoléu Yasawi - BLOG LUGARES DE MEMÓRIAModelo para monumentos de Samarcanda

Ao listarem o Mausoléu de Yasawi como Patrimônio Mundial da Humanidade, os especialistas da Unesco o classificaram como “uma das maiores e mais bem preservadas construções do período Timúrida”. O fato de ter ficado inacabado permitiu, segundo a mesma equipe, a identificação e documentação de técnicas de construção da época.

De acordo com o relatório da Unesco, o Mausoléu serviu de protótipo para os edifícios religiosos do
Foto By Otebig - Matéria Mausoléu Yasawi - BLOG LUGARES DE MEMÓRIA
Islã na Ásia Central, que reproduziram suas cúpulas, abóbodas, detalhes decorativos e arranjos espaciais inovadores. As soluções arquitetônicas e estruturais experimentadas pelos construtores persas nessa obra seriam usadas, tempos depois, na construção de Samarcanda – a capital do império de Tamerlão.

*O fato de ser inacabada faz parte do interesse histórico do lugar. 

**De acordo com os sufis, a presença da Baraka não se restringe aos mausoléus. Pode estar, igualmente, em pessoas e lugares. As tumbas apenas mantêm a energia espiritual acumulada em vida pelos respectivos santos. 

*** Em sentido amplo, a palavra circunvolução significa volta ao redor de um centro. No Islã, o termo é usado para nomear um ritual feito originalmente em Meca, e repetido em outros lugares sagrados, que consiste em dar três voltas ao redor de um monumento religioso, no caso de Meca, a Caaba.

**** Leia, aqui no blog, matéria sobre os Padrões geométricos islâmicos.

Mausoléu de Ahmad Yasawi - Turquestão - Cazaquistão - Ásia Central


Texto: Sylvia Leite
Jornalista - MTB: 335 DRT-SE / Linkedin / Lattes

Fotos:

(1,2,3) Yuriy75 - Treball propi, CC BY-SA 3.0, Wikimedia
(4) Door Ulasgoc - Eigen werk, CC BY-SA 4.0, Wikimedia
(5) Domínio público - By http://dl.wdl.org/2468.pngGallery: http://www.wdl.org/en/item/2468/, Domini públic, Wikimedia
(6) upyernoz from Haverford, USA - Mausoleum of Khoja Ahmat YassawiUploaded by AlbertHerring, CC BY 2.0, Wikimedia
(7) Petar Milošević - Treball propi, CC BY-SA 4.0, Wikimedia

 Referências:

Site da Unesco


16 comentários:

  1. Respostas
    1. Valeu, Ma. Elisa. Toda quinta tem postage nova no blog. Acompanhe!

      Excluir
  2. Região maravilhosa, que está na minha lista de prioridades! Valeu, Silvinha!

    ResponderExcluir
  3. Impressionante e belíssima arquitetura!
    Seu texto, como sempre, um deleite, Sylvinha.
    Bjs,
    Val Cantanhede

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Val! É impressionante mesmo, viu? Eu entrei no Cazaquistão só para visitar esse mausoléu e acho que valeu a pena.

      Excluir
  4. Que texto incrível com tantas informações interessantes, que eu desconhecia. Quanta beleza e riqueza reside no Mausoléu de Yasawi e sua arquitetura!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É mesmo, Deyse. Muita beleza e riqueza, dentro e fora do mausoléu.

      Excluir
  5. Quantas informações incriveis e interessantes sobre o Mausoléu de Yasami. Mais um post topíssimo, parabéns!

    ResponderExcluir
  6. Que interessante esse Mausoléu de Ahmad Yasawi. Não conhecia essa atração em Turquestão no Cazaquistão. ´Mais uma ótima dica!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pelo comentário, Ângela. O lugar é lindo mesmo. vale a pena.

      Excluir
  7. Não conhecia o Sufismo e nem o poeta.. A Arquitetura é maravilhosa e me deixou com muita vontade de conhecer. E adorei saber mais a respeito da cultura turcomana.

    ResponderExcluir
  8. Quero muito conhecer essa parte da Ásia. Os detalhes na arquitetura, na fachada e internos são incríveis! Com certeza colocaria o Mausoleu de Yasawi no roteiro

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pelo comentário. Coloque Mesmo o mausoléu no seu roteiro. Não vai se arrepender.

      Excluir

Obrigada por seu interesse em nossa postagem!