12/04/2018

Pérgamo: o paraíso das palavras

Blog lugares de memória - Matéria Pérgamo - foto Sylvia Leite
“A cobra troca de pele e a cura é uma troca da doença pela saúde.”
O poder da palavra sempre foi reconhecido por civilizações tradicionais e por muitas correntes místicas e religiosas. Em diversas cosmogonias, o verbo ou logo é considerado veículo da criação. Culturas orientais e indígenas de várias partes, atribuem às palavras poderes mágicos ou de cura.

A própria psicoterapia ocidental, surgida com Freud no fim do século XIX, passou a utilizar, à sua maneira, a palavra como recurso para obtenção de equilíbrio mental.

O que talvez poucos saibam é que em Pérgamo, cidade natal de Galeno e um dos berços da medicina ocidental, a cura pela palavra já era usada usada cerca de 150 anos Antes de Cristo.

A palavra em Pérgamo

O cenário era o Centro Médico de Asklepion (“Esculápio”), provavelmente o maior e mais importante do período. A palavra estava presente em vários momentos. Fazia parte do tratamento psicoterapêutico ler sobre assuntos diversos no bosque do hospital. Os pacientes também eram levados a assistir peças teatrais no anfiteatro do hospital.

Blog lugares de memória - Matéria Pérgamo - foto Sylvia Leite
É emocionante atravessar o túnel  imaginando que 
vozes de incentivo vão entrar pelo teto junto com a luz.
Para retornar a seus aposentos depois das atividades externas, os pacientes atravessavam um túnel de pedra onde havia pequenas aberturas na parte superior. Enquanto andavam, ouviam frases de incentivo à autoestima pronunciadas por terapeutas a partir das fendas. O som das palavras ecoava no túnel e se misturava ao ruído de uma fina camada de água que escorria pelas mesmas brechas.

Essas prescrições do Centro Médico de Esculápio integravam um contexto maior. Por um lado, havia nos médicos uma busca pela estimulação física, mental e espiritual dos pacientes. Isso colocava lado a lado técnicas distintas e complementares como o uso da palavra escrita e falada, a meditação, massagens, música, dança e contato com a água em piscinas e fontes.  Quartos especiais estimulavam sonhos que depois eram interpretados pelos médicos-sacerdotes e serviam para orientar o tratamento.

Num âmbito mais abrangente, a palavra fazia parte do tecido orgânico da cidade e da cultura daqueles que, de uma maneira ou de outra, integravam o hospital.

Pérgamo era sede da segunda maior biblioteca do mundo, que perdia apenas para a de Alexandria. Não por acaso, seu nome serviu de inspiração para quem batizou o suporte de couro de cabra, carneiro ou ovelha sobre o qual eram escritos os livros e documentos da época: o pergaminho.

Tudo isso aconteceu há mais de dois mil anos, mas as ruínas ainda estão lá para nos contar sua história.

Centro Médico de Asklepion (Esculápio)/ Antiga Pérgamo/ Bérgama/ Anatólia/ Turquia

Texto: Sylvia Leite 
Jornalista - MTB: 335 DRT-SE / Linkedin / Lattes 

Fotos: Sylvia Leite

----------------------------------------
Deixe um comentário a seguir e, se gostou, divulgue esta postagem em seus perfis nas redes sociais. Nos quadradinhos abaixo, você pode clicar em sua rede preferida e compartilhar diretamente.

Para ler sobre outros lugares de memória, clique em um dos links  a seguir:

Museu do  Sertão
Samarcanda
Newgrange
Os Claustros
Cordisburgo


37 comentários:

  1. Sylvinha, o blog está muito bacana. Fotos e textos na medida exata. Informação de muita qualidade. Fiquei com vontade de ir a Pérgamo. Não perderei nenhuma postagem. Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que pena que você nao assinou seu comentário. Obrigada de qualquer forma. Beijo

      Excluir
  2. Beatriz Wanderley12 de abril de 2018 07:30

    Muito interessante! Não sabia nada disso. Já estou curiosa para a próxima quinta-feira. ��

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Bia. Fique de olho. Espero que goste dos proximos.

      Excluir
  3. Minha prima. Sempre digo as minhas amigas que sempre temos o que aprender e conhecer, e você está me dando essa oportunidade de ter um maior conhecimento de coisas que nunca tinha ouvido falar.Agradeço a Deus por sua inteligência e diaponibilidade de nos presentear com boas coisas. Parabéns.

    ResponderExcluir
  4. Muito interessante mesmo. Voltemos a Pérgamo.

    ResponderExcluir
  5. Sensacional essa história de cura e da importância da palavra nesse processo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Eli. Que bom que você se tornou leitora assidua.

      Excluir
  6. Parabéns!... que artigo bacana, Sylvia.

    ResponderExcluir
  7. Isso é muito bonito! Como estudante e apreciador da Psicanálise, fico tocado com esse relato e com vontade de atravessar esse túnel que deve preservar, através dos séculos, as boas energias dessas palavras!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito bom ter esse retorno de alguem da área. Obrigada pelo comentário. Beijo

      Excluir
  8. Mais uma vez você está de parabéns Silvinha. Muito bom seu texto sobre Pérgamo. Aida carrera

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Aida. Que bom que você"e est[a aqui pela segunda vez.Beijo

      Excluir
  9. Ainda não conheço, está lá lista, espero conhecer breve. Parabens

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Neilton, volte sempre e deixe suas sugestões.Beijo.

      Excluir
  10. Sylvinha, adorei seu blog. Parabéns!!! As histórias são muito interessantes e você escreve com muita sensibilidade. Sucesso!
    Marta Carrera

    ResponderExcluir
  11. Ja ansiosa pela próxima postagem. Parabéns!

    ResponderExcluir
  12. Não conhecia a cidade nem a história que a envolvia .. muito interessante ! Fica a curiosidade para o destino da próxima 5af .. muito bom viajar com você , 😊😘

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Bebel. Espero que goste também da próxima. Beijo.

      Excluir
  13. Mais uma deliciosa viagem no tempo e no espaço...adorei. Bjs, Buduga.

    ResponderExcluir
  14. Muito bom Silvinha. Super interessante.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom que gostou.Obrigada pela visita. Amanhã tem mais. Beijo

      Excluir
  15. Lugar muito interessante. Pena que não tenhamos mais esse tipo de terapia. Será que ainda existe isso em algum lugar do mundo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza existe. Em geral são iniciativas isoladas e pouco divulgadas, mas procurando a gente acha.

      Excluir
  16. Impressionante essa sabedoria terapêutica num passado tão remoto! Deviam se inspirar nela os psiquiatras da fuga pelo Rivotril e Lexotan escravizantes e enganadores. Suas postagens me dão vontade de saber mais e conhecer os lugares descritos. Tomara que a Turquia volte a ser um lugar visitável em breve.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uma pena que tanto tempo depois ainda não tenhamos aprendido, não é? Obrigada pelo comentário.

      Excluir
  17. Adorei a matéria, me deixou curiosa em conhecer Pérgamo. Geísa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É emocionante passar por esse túnel. Dá vontade de construir um igual.E se você for a Pérgamo, poderá conhecer também outras maravilhas da Turquia.

      Excluir