19/04/2018

Alhambra: um império dos sentidos

Blog lugares de memória - Matéria Alhambra
Blog lugares de memória - Matéria Alhambra
O conjunto de palácios medievais construído pelos mouros em Granada, Sul da Espanha, foi batizado como La Alhambra, ou A vermelha, por causa de sua aparência exterior fortificada, com tijolos aparentes. Mas para surpresa dos visitantes, à medida que se alcança o interior dos palácios, a austeridade inicial vai se transformando em delicadeza. 

Ao lado dos rústicos tijolos, surgem complexos mosaicos coloridos e painéis de gesso em baixo relevo. Os tetos, abobadados, reproduzem mapas celestes ou lembram a forma das estalactites. Fontes e espelhos d'água compõem coreografias carregadas de poesia e significado. Tudo ali parece ter sido planejado para agradar aos sentidos e, por meio deles, nos transportar a outros mundos.

Os artistas de Alhambra eram impedidos, por princípio religioso, de utilizar imagens humanas ou de animais, o que os levou a aperfeiçoarem-se na geometria* e a conseguirem, com ela, resultados surpreendentes. Espaços projetados com base na proporção áurea ocasionam uma sensação de plenitude comparável à que experimentamos nas catedrais. Padrões coloridos impressos em paredes e tetos reproduzem etapas simbólicas da criação do universo e sua organização espacial. Motivos exaustivamente repetidos criam uma espécie de monotonia que induz à meditação.  
Blog lugares de memória - Matéria Alhambra
Blog lugares de memória - Matéria Alhambra
Para enriquecer sua arte, os artistas procuraram beneficiar-se da luminosidade meridional, que realça a beleza da construção e faz com que o aspecto de cada arco, canteiro ou relevo mude conforme a posição e intensidade do sol. Quem visita Alhambra à noite pode não reconhecê-la como o mesmo lugar que foi visto durante o dia.

A luz amplia seu alcance ao estabelecer uma espécie de parceria com os espelhos d'água. Grandes ou pequenos, internos ou externos, eles propiciam uma brincadeira de esconde-esconde, em que é preciso descobrir o ângulo ideal para ver refletida cada imagem. Alguns desses ângulos mostram-se facilmente, como as fachadas do Pátio dos Arrayanes (foto acima) que são percebidas, sem dificuldade, no espelho d’água. Mas na sala dos Abencerrajes, por exemplo, é preciso abaixar-se quase até o chão para ver refletidas, na água da fonte interna, as arcadas que rodeiam o pátio do lado de fora.

A água, aliás, é um dos elementos mais marcantes de Alhambra. O jogo de ruídos e silêncios de suas fontes já inspirou poetas e contistas. O som varia em função do número, altura, espessura e posição das saídas de água. Algumas delas funcionam em silêncio total. Segundo estudiosos da filosofia muçulmana, tudo isso obedece a uma lógica secreta, inspirada no simbolismo e no conhecimento esotérico do Sufismo - o braço místico do Islã. Há quem diga, até, que as fontes instaladas ali funcionam como emissores e receptores de energia.   
Blog lugares de memória - Matéria Alhambra
Além do espetáculo visual e sonoro, a água, em Alhambra, tem uma função térmica. Quem visita os palácios no verão experimenta uma sensação de frescor, enquanto a temperatura do lado de fora passa dos quarenta graus. Outro agente do milagre térmico é a quantidade de árvores, plantas e flores espalhados pelos pátios dos palácios. 
                       
A descoberta de Alhambra  pode durar algumas horas ou alguns dias. Isso vai depender da curiosidade de cada um e do aprofundamento da visita. 

Alhambra y Generalife/ Granada/ Andaluzia/ Espanha
Site oficial: Alhambra Y Generalife

* Os padrões geométricos das cidades árabes serão tema de outra matéria. Aguardem!
-----------------------------------------------------
Deixe um comentário a seguir e, se gostou, divulgue esta postagem em seus perfis nas redes sociais. Nos quadradinhos abaixo, você pode clicar em sua rede preferida e compartilhar diretamente.

Para ler sobre outros 'lugares de memória', clique nos links abaixo:


40 comentários:

  1. Respostas
    1. Obrigada, Nairson. Bom saber que você gostou.

      Excluir
    2. Joaqum de calasans21 de abril de 2018 08:30

      Excelente matéria. Obrigado por ter-me compartilhado esse brilhante conhecimento. Parabéns!

      Excluir
    3. Obrigada, Joaquim. Volte sempre. Toda quinta tem uma postagem nova. Esta já é a terceira e, se tudo dr certo, virão muitas outras.

      Excluir
  2. Syl,parabéns mais uma vez pelo post. Alhambra é para mim uma das maravilhas do mundo. Mal posso esperar para reencontrá-la.
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pat, aproveite bastante Alhambra ao vivo. Obrigada pelo comentário.

      Excluir
  3. Cada um melhor que outro, compartilhei na minha página do Facebook... Sem dúvida, Alhambra é um dos lugares mais impressionantes que eu já visitei... Gratidão aos árabes sábios por terem nos mostrado o melhor da sua cultura.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pelo compartilhamento e pelo retorno. Saber que as pessoas gostam é um grande incentivo.

      Excluir
  4. incrível descrição desse paraíso terrestre. adorei!

    ResponderExcluir
  5. Realmente Granada é digna de se visitar, todo o conjunto de palácios de arquitetura Moura é extremamente envolvente. Uma boa recordação. Parabéns mais uma vez. Neilton Santana

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Neilton. Bom saber que se tornou leitor assíduo. Quinta que vem tem mais.

      Excluir
  6. Lindezas do mundo, do sagrado, do humano demasiadamente humano (talvez?!). Lindo lindo recordar esse lugar tão especial!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pela visita, Cantora. Bom saber que te fez resgatar boas lembranças.

      Excluir
  7. Que lembrança mais linda. Me fez relembrar cada cantinho desses que foram citados. Me deu muitas saudades. Trouxe uma memória muito boa. Obrigada

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Legal, Elizete. Bom saber que o texto te ajudou a resgatar essas memórias.

      Excluir
  8. Gostei ! Fiel às sensações de quem lá esteve, o texto nos brinda informações adicionais interessantes , que vão além da crônica turística comum.. Parabéns ! que venha o próximo destino !! 😘

    ResponderExcluir
  9. Viajei até lá através da descrição e das fotos. Deslumbrante!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, toda quinta tem postagem nova. Não perca! Gostaria de saber de quem é este comentário.

      Excluir
  10. Vai entrar no meu próximo roteiro de viagem!
    Gostando muito do blog!

    ResponderExcluir
  11. Deu vontade de visitar novamente! Só conheço por fora quando fui a Granada em 2000. Amei! Bju

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Sheila, e não deixe de ir. É o que eu falei e muito mais. Fique atenta aos detalhes. O lugar é feito com tijolo e argamassa, não tem nenhuma riqueza material. A beleza é resultado do trabalho artístico.

      Excluir
  12. Lindo texto! Dá muita vontade decir à Alhambra. Obrigada

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este eu sei que foi de Anita poque ela avisou agora que tinha acabado de postar. Obrigada, querida!beijo

      Excluir
  13. Lendo seu texto me transportei para Alhambra...lembrei dessa sensação de frescor e de deslumbramento que ela me proporcionou desde a primeira vez que lá estive... Adorei, Sylvia...muito bom!!! Gostei muito!!! Marly Reyes Ribeiro

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Marli. Fico feliz por ter proporcionado essa sensação e ajudado a resgatar lembranças. Beijo!

      Excluir
  14. Oi Sylvinha, lugar lindo no qual me emocionei!!!

    ResponderExcluir
  15. Lugar maravilhoso! Um dia ainda vou conhecer. Obrigada por compartilhar!

    ResponderExcluir
  16. Me deu vontade de voltar a Espanha, especialmente Andaluzia.
    Augusta Leite

    ResponderExcluir
  17. Obrigada, Patrícia. Volte sempre! Quinta tem mais.

    ResponderExcluir
  18. Conheci Alhambra em 1990, fiquei encantada e agora vc descreveu tão bem, parabéns pelo blog!
    Helena Tavares

    ResponderExcluir
  19. Que maravilha, Sylvinha! Gostaria de ter lido essas bem elaboradas informações antes da visita a Alhambra. Teria prestado mais atenção a cada detalhe, aproveitado melhor desse lugar tão especial. Senti-me de novo caminhando emocionada em meio aos jardins, fontes e toda aquela riqueza artística ali concentrada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vale a pena voltar. A cada visita, descobrimos novos detalhes. Obrigada pela visita ao blog e pelo comentário.

      Excluir