13/05/2021

Pamukkale: o lugar da cura e da beleza

A paisagem é de tirar o fôlego: piscinas arredondadas, com aparência de neve, dispostas em cascata e
Foto LoggaWiggler por Pixabay - Matéria Pamukkale - BLOG LUGARES DE MEMÓRIA
cheias de uma água ligeiramente leitosa que em alguns pontos assume tons de azul. A estrutura é tão branca, que o lugar recebeu o nome de Pamukkale – combinação de duas palavras turcas livremente traduzidas como Castelo de Algodão. À primeira vista, trata-se apenas uma visão fascinante, um cenário de sonho, o que não é pouco. Mas para os que conhecem sua história, esse leque se amplia com pelo menos mais uma qualidade: a de antiga estação termal, conhecida como lugar de cura.

Esse antigo spa paradisíaco, localizado na província de Denizli, na região da Anatólia, na Turquia, pertenceu, em seu auge, ao Império Romano, mas era procurado
Foto LoggaWiggler por Pixabay - Matéria Pamukkale - BLOG LUGARES DE MEMÓRIA
por gente de toda parte. Acreditava-se que tanto a água como a lama que se acumula no fundo das piscinas pudessem tratar desde doenças reumáticas e dermatológicas até problemas neurológicos. Já os que bebiam a água, podiam ficar livres de problemas digestivos.

A Pamukkale lendária e mitológica


As histórias, ou lendas, em torno das propriedades curativas de Pamukkale chegam a envolver personagens famosos e até sagrados. Conta-se, por exemplo, que sua água teria curado a Virgem Maria de uma enfermidade no olho. Conta-se, ainda, que o imperador Júlio Cesar (100 AC - 44 AC)  e a rainha egípcia Cleópatra* (69 AC a 30 AC) costumavam ir ao local em busca de rejuvenescimento.

Foto LoggaWiggler por Pixabay - Matéria Pamukkale - BLOG LUGARES DE MEMÓRIA
Pamukkale também é cenário de pelo menos uma história mitológica. De acordo com essa narrativa, a cor branca de suas piscinas é resultado do encantamento que um pastor de ovelhas sentiu pela lua, que, entre os gregos tinha o nome de Selena e entre os Romanos era conhecida como Luna. Ao admirá-la, em uma certa noite, o pastor ficou perdido de amor e esqueceu-se de suas funções durante todo o dia seguinte. A falta de ordenha fez o leite das ovelhas transbordar e escorrer pelo chão, pintando tudo de branco.

Outra lenda fala do uso das águas termais para obtenção de beleza. Uma filha de lenhadores que
Foto LoggaWiggler por Pixabay - Matéria Pamukkale - BLOG LUGARES DE MEMÓRIA
vivia nas redondezas, sentia-se muito infeliz porque era feia. Tão feia que chamava a atenção das pessoas, causando repulsa. Por causa disso, ela preferia viver afastada de todos, passeando sozinha pelas montanhas. Em um desses passeios, ela virou o pé e caiu em uma piscina de Pamukkale. Com a queda, a moça perdeu os sentidos e permaneceu dentro da piscina. Instantes depois, foi salva por um rapaz que passava por ali e resolveu levá-la para a casa de sua família. Ao acordar, ela percebeu que todos a tratavam bem e, ao olhar-se no espelho, descobriu que tinha se tornado bonita. E, como em toda história de final feliz, o rapaz a pediu em casamento e foram felizes para sempre. E, como é comum entre os homens, sua história espalhou-se pela região.
Foto Wikimedia - Presume-se que o autor seja Mbz1  - Matéria Pamukkale - BLOG LUGARES DE MEMÓRIA

As águas termais


Exageros à parte, as lendas sobre as propriedades curativas de Pamukkale não deixam de ter fundamento real. A água que corre sobre a montanha de mais de 200 metros de altura é realmente termal, ou seja: além de naturalmente aquecida, contém sais minerais que possuem efeitos terapêuticos.

E o mais surpreendente é que a mesma
Foto Sylvia Leite - Matéria Pamukkale - BLOG LUGARES DE MEMÓRIA
composição calcárea que está por trás das propriedades curativas da água e da lama – o hidrocarboneto de cálcio –  dá origem ao travertino – a pedra cor de neve que se forma sobre a montanha como uma espécie de manto branco.

Por tudo isso, Pamukalle ganhou fama e passou a receber visitantes das mais diversas regiões do mundo antigo: greco-macedônios, anatólios, romanos, judeus e talvez egípcios – caso a história de Cleopatra seja verdadeira. 

Ao lado das piscinas, foi construída Hierápolis, ou Cidade Sagrada, que inicialmente também se chamava Pamukkale, pois, na verdade, se trata do mesmo lugar, que acabou sendo transformado em um centro de cura. De cura e de fé porque os tratamentos de hidroterapia eram acompanhados de práticas religiosas relacionadas aos cultos locais.

Foto intro tanıtım por Pixabay - Matéria Pamukkale - BLOG LUGARES DE MEMÓRIA

O centro de cura de Hierápolis


As propriedades terapêuticas atribuídas às piscinas de Pamukalle foram amplamente exploradas em cerca de 15 estações termais de Hierápolis que eram abastecidas com a água curativa por meio de um complexo sistema de canais. Essa rede hidráulica, com aproximadamente 70 km de extensão, ligava as nascentes termais a várias
Foto Vilve Roosioks por Pixabay - Matéria Pamukkale - BLOG LUGARES DE MEMÓRIA
aldeias e campos da região.

As ruínas de Hierápolis encontram-se praticamente ao lado das piscinas e constituem hoje um dos sítios arqueológicos mais importantes da Turquia. A cidade foi fundada pelo grego Eumenes II, rei de Pérgamo, por volta de 150 Antes de Cristo. Foi destruída por um terremoto no ano 60 da Era Cristã e só passou ao domínio romano cerca de setenta anos depois dessa tragédia.

Quando o imperador Constatino converteu-se ao Cristianismo e estabeleceu Constantinopla como a Nova Roma, no ano 330, Hierápolis ganhou a condição de bispado, recebendo várias igrejas e tornando-se um importante centro religioso do novo credo. Além da fama que alcançou como lugar de cura, Hierápolis era conhecida também como centro produtor de tecidos e as piscinas de Pamukkale eram usadas para lavagem e secagem da lã.

Atualmente, tanto Pamukkale como Hierápolis estão tombadas pela Unesco como Patrimônio Mundial da Humanidade e é possível usufruir de uma antiga estação termal que, segundo a lenda, foi construída a mando de Cleópatra para seu uso pessoal. A Piscina Sagrada ou Piscina de Cleópatra é abastecida pela água das piscinas naturais, além de conter, em seu interior, ruínas de colunas romanas e, a seu lado, um museu que conta a história do lugar. O visitante também tem acesso à piscinas naturais, mas apenas em uma área restrita e com os pés descalços.

Pamukkale - Hierápolis - Denizli - Anatólia - Turquia - Ásia

Texto: Sylvia Leite
Jornalista - MTB: 335 DRT-SE / Linkedin / Lattes

Participação especial: Jane Netto

Fotos:
(1
,2,3,4)  LoggaWiggler por Pixabay
(5) Wikimedia. O autor não foi fornecido de forma legível por computadores. Presume-se que seja Mbz1 (com base nos direitos de autor reivindicados) -  CC BY-SA 3.0
(6) Sylvia Leite


-----------------------------------------------------

Gostou da matéria? 
Compartilhe com os amigos nas redes sociais. 
Você também pode deixar um comentário expressando sua opinião. 

Para ler sobre outros lugares de memória, clique nos links abaixo:

19 comentários:

  1. Sempre tive vontade de conhecer este lugar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois então vá conhecer e aproveite para visitar também outros lugares da Turquia. Aqui no blog você poderá ler sobre Éfeso, Goreme (na Capadócia) e a mesquita Pequena Sofia. E breve teremos mais.

      Excluir
  2. Uma paisagem dessa é capaz de curar qualquer mal!!!!
    maravilha, Sylvinha, adorei!!

    ResponderExcluir
  3. Muito interessante esse local. Fica anotado na agenda.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E aproveite para conhecer outros lugares da Turquia. Aqui no blog tem várias matérias sobre alguns desses lugares, como Goreme (na Capadócia) e a mesquita Pequena Sofia e a famosa dança do Sama. E breve teremos mais.

      Excluir
  4. Que fascinante esse lugar de cura!
    Deu vontade de conhecer...
    Bjs,
    Val

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dá vontade mesmo, né? Quando eu vi essa paisagem pela primeira vez senti o mesmo. Quando for, aproveite para conhecer outros lugares da Turquia. Aqui no blog tem várias matérias sobre alguns desses lugares, como Goreme (na Capadócia) e a mesquita Pequena Sofia e a famosa dança do Sama. E breve teremos mais.

      Excluir
  5. Não é dificil saber o porque Pumukkale é o lugar da cura e da beleza vendo este post. Adorei as aguas quentes, pois adoro este contraste e a sensação gostosa das aguas termais. Abraços

    ResponderExcluir
  6. Amei saber mais sobre Pamukkale. Quero ir pra esse lugar de cura e beleza desde Istambul. Será que é muito difícil? beijinhos. Um super beijo e parabéns pelo post

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dificuldade nenhuma, Elizabeth. Tem várias agências que fazem essa viagem a partir de Istambul. Só fique atenta porque alguns pacotes passam apenas algumas horas em Pamukkale. Vale a pena ir de qualquer forma, mas, se vc tiver a possibilidade de se hospedar por lá e aproveitar mais o lugar é melhor.

      Excluir
  7. Nathalia Geromel30 de maio de 2021 18:47

    Nossa de tirar o fôlego mesmo !!! Só de olhar a primeira foto, já entendi porque é o lugar da cura e da beleza!! Lindo Sylvia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É incrível mesmo. Se for, fique pelo menos uns dois dias. É um lugar que merece ser desfrutado. Não é para chegar, olhar e ir embora.

      Excluir
  8. Realmente esse lugar é de tirar o fôlego. Que coisa mais linda!Ja quero ir pra esse lugar de cura e beleza

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E além de tudo fica perto de outros lugares maravilhosos. A Turquia é linda.

      Excluir
  9. Alexandra Morcos4 de junho de 2021 14:40

    Fui a este lugar encantador que é Pamukkale quando eu era mais nova e nunca me esqueci de sua beleza!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom saber que a matéria lhe trouxe boas recordações.

      Excluir
    2. Bom saber que a matéria lhe trouxe boas recordações.

      Excluir

Obrigada por seu interesse em nossa postagem!