09/04/2021

Urca: uma 'ilha' de tranquilidade em plena orla do Rio

Foto José Caldas - Matéria Urca - BLOG LUGARES DE MEMÓRIA
Quem ouve falar no Bondinho do Pão de Açúcar – cartão postal do Rio de Janeiro – não pode imaginar que um dos bairros localizados aos pés de toda aquela agitação turística seja um lugar pacato, com ares de cidade do interior. A Urca – este é seu nome – tem pouco mais de sete mil habitantes e, apesar de abrigar universidades, escolas civis e  militares, praias, clubes, um museu e uma fortaleza, consegue se manter tranquila e costuma servir de refúgio aos que querem escapar da movimentação característica do restante da zona Sul.

Foto Anita leandro - Matéria Urca - BLOG LUGARES DE MEMÓRIA
Um dos lugares mais procurados por visitantes, e também por moradores da cidade, é o famoso
‘murinho’ ou ‘mureta’ – uma espécie de balaustrada de onde se pode admirar o oceano, os barcos, os pescadores e as montanhas cariocas tomando cerveja gelada e petiscos servidos por bares locais. 

Caminho dos Bem-te-vis


Menos frequentada, mas tão ou mais encantadora, é a Pista Claudio Coutinho – batizada assim em homenagem ao ex-treindor do Flamengo e da Seleção Brasileira – , mas que se tornou conhecida como
Foto Alexandre Macieira  Riotur Divulgação - Matéria Urca - BLOG LUGARES DE MEMÓRIA
Caminho dos Bem-te-vis. Trata-se de uma pista asfaltada com pouco mais de um quilômetro, localizada entre o mar e o Morro da Urca, onde sobrevive um pedacinho de Mata Atlântica. Como o próprio nome sugere, o lugar é povoado por pássaros, mas não por exatamente Bem Te Vis.

A espécie mais presente talvez seja o Tiê-sangue, também conhecido como Sangude-boi, cujo nome científico – Ramphocelus bresilius – significa pássaro brasileiro com bico côncavo.
Foto Dario Sanches Wikimedia - Matéria Urca - BLOG LUGARES DE MEMÓRIA
Além de ser uma espécie praticamente exclusiva do Brasil, o Tiê-sangue é considerado símbolo da Mata Atlântica. Ao lado dos Tiês, chama atenção no local a espécie Martim-pescador-grande. São pássaros com mais de 40 centímetros de comprimento, que estão ligados a algumas versões do mito grego de Ceix e Alción. O casal teria provicado a ira de Zeus por ter se comparado a ele e à sua esposa Hera. Para puni-los, Zeus transformou Ceix em um Albatroz (ou em um Ganso, a depender da versão) e Alción em um Martin Pescador.

A trilha é povoada, ainda, por saguis – predadores que vieram de fora e provocam um certo desequilíbrio ambiental, mas que, por outro lado, fazem a alegria das crianças. E além dos animais, quem anda pelo
Foto Dario Sanches Wikimedia - Matéria Urca - BLOG LUGARES DE MEMÓRIA
Caminho dos Bem Te Vis pode apreciar árvores nativas como Pau Brasil e Figueiras. Numa certa altura, os caminhantes têm a opção de seguir pela triha que leva ao topo do Morro da Urca, onde fica a primeira parada do bondinho que leva ao Pão de Açúcar. Ao final, há uma outra trilha, mas essa não é para amadores, pois exige algumas habilidades.

A fundação do Rio de Janeiro


Esse lugar paradisíaco foi habitado inicialmente por povos indígenas de língua Tupi. Os primeiros europeus que chegarem eram franceses, comandados por Nicolas Durand de Villegagnon e foi com o
Foto José Caldas - Matéria Urca - BLOG LUGARES DE MEMÓRIA

propósito de expulsá-los que os portugueses decidiram ocupar a região, cerca de 60 anos depois de sua chegada inicial ao território brasileiro, no evento que convencionou-se chamar de 'descobrimento'. Como os franceses resistiram, Portugal enviou uma segunda expedição e, o seu comandande, Estácio de Sá, fundou a cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro. O nome era uma homenagem ao rei de Portugal – o famoso 'Rei Menino", que desapareceu misteriosamente, anos depois, na batalha de Alcácer-Quibir, no Marrocos.  O local escolhido foi a faixa de terra entre os morros Cara de Cão e Pão de Açúcar, onde hoje se

Foto José Caldas - Matéria Urca - BLOG LUGARES DE MEMÓRIA
encontra a Fortaleza de São João.

Na época, o que hoje chamamos de Urca, incluindo os morros Cara de Cão, Pão de Açúcar e da Urca formavam uma ilha que foi batizada com o nome de Trindade. Os portugueses escolheram o local para melhor se proteger dos indígenas que habitavam o litoral. Mas, com o tempo, a cidade foi transferida para o Morro do Castelo, no continente, e Trindade, que passou a ser chamada de Cidade

Foto José Caldas - Matéria Urca - BLOG LUGARES DE MEMÓRIA
Velha, ficou restrira à defesa da Baía de Guanabara. Cerca de um século depois, a ilha foi unida ao continente por meio de um aterro que formou a atual Praia Vermelha. Mas, apesar do aterro, o acesso à área continuou difícil.

O bairro da Urca começou a se concretizar somente em 1921, por meio de um contrato. O objetivo central era a construção de um cais que ligasse a Praia da Saudade à Fortaleza de São João a fim de facilitar o acesso por terra. Em contrapartida, a empresa que assumiu a obra deveria, entre outras ações, construir uma escola para 200 alunos -  a

Foto José Caldas - Matéria Urca - BLOG LUGARES DE MEMÓRIA
atual Escola Municipal Minas Gerais. A empresa, comandada pelo o engenheiro Oscar de Almeida Gama, chamava-se Sociedade Anônima Empresa da Urca e é possível que daí tenha surgido o nome do bairro. 

Na verdade, não se sabe que denominação veio primeiro, se a da empresa ou do bairro, já que a Sociedade Anônima foi criada específicamente para realizar essa obra. Seja qual for a verdade, existem pelo menos duas versões para a origem do nome Urca, ambas relacionadas aos hokandeses:  uma delas atribui o batismo do bairro ao nome de um navio comandado pelo Olivier Van Noort, conhecido como o LeBlond. A segunda, e mais provável, pois pode ter inspirado também o nome do navio, é que urca é o nome dado a um tipo de embarcação holandesa cuja forma lembra a do atual Morro da Urca.

Um reduto de educação e cultura


A Urca abriga hoje duas das principais unversidades públicas do estado: a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)  – cujos jardins são um passeio a parte  –  e a Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO). Reune também  diversas instituições militares como a Escola Superior de Guerra (ESG), a Escola de Comando e Estado-Maior do Exército (ECEME), a Escola de Guerra Naval (EGN), o Instituto Militar de Engenharia (IME) e a Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais (CPRM). Estão localizadas, ainda, nesse pequeno bairro, o Instituto Benjamin Constant, que é referência na educação de visuais.
Foto Wikimedia - Matéria Urca - BLOG LUGARES DE MEMÓRIA

O Cassino da Urca


Uma escola deve ser aberta, também, no histórico prédio do Cassino da Urca, que tem uma longa tradição no Rio de Janeiro e já abrigou a unidade carioca da Escola Europeia de Design (EAD). O prédio foi inaugurado em 1922 como Hotel Balneário, mas nunca chegou a alçar grandes voos nessa categoria. Cerca de uma década depois, quando o presidente Getúlio Vargas liberou os jogos de azar em casas de shows, foi criado um teatro improvisado em seu hall, aparentemente apenas para viabilizar o cassino. 
Foto Divulgação - Matéria Urca - BLOG LUGARES DE MEMÓRIA

Embora tenha nascido à reboque do jogo, o teatro foi quem fez história, tornando-se um dos mais emblemáticos da múcia brasileira em sua época de ouro marcada por shows de Ary Barroso,
Grande Otelo, Dick Farney, Virginia Lane, Dalva de Oliveira e Carmen Miranda. Com a proibição dos jogos, em  , foi a vez do cassino fechar e, com ele, seu teatro. Na etapa seguinte, entre 1951 e 1980, o prédio foi utilizado pela TV Tupi e seu palco  que deixou de ser improvisado logo nos primeiros anos de funcionamento do teatro  serviu de cenário ao Cassino do Chacrinha. Mas essa história será contada com detalhes em outra matéria.

Site Museu de Ciências da Terra - Matéria Urca - BLOG LUGARES DE MEMÓRIA
Cultura e Comunidade


Completando a vocação educativa do bairro, estão intslados em sua área pelo menos mais duas  importantes instituições culturais. Uma delas é o Museu de Ciências da Terra que, embora não seja muito divulgado, possui um acervo composto por 10 mil amostras de minerais e meteoritos; 12 mil rochas e 35 mil fósseis catalogados, além de uma biblioteca com 100 mil volumes relcionados à área
Foto Tânia Rêgo Agência Brasil  Wikimedia _ Matéria Urca - BLOG LUGARES DE MEMÓRIA
de Geociências e uma Biblioteca Infantil.

A outra instituição é a fortaleza de São João, onde funcionam, atualmente, várias instituições do Exército ligadas à Educação e Capacitação Física, inclusive o Museu do Desporto, além da Escola Superior de Guerra. Nessa fortaleza  encontra-se o marco da fundação do Rio de Janeiro, que, visto de cima, forma uma Cruz de Malta. Pode-se destacar, ainda, uma cela que teria sido usada por Tiradentes ao ser preso junto com outros líderes da Inconfidência Mineira e um Portão de Armas tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). Faz parte, ainda, do complexo dessa fortaleza, o Forte São José, todo em pedra talhada. O sitio histórico é abero à visitação e já foi usada como locação de filmes e produções
Foto Anita Leandro - Matéria Urca - BLOG LUGARES DE MEMÓRIA
televisivas.

Além das instituições militares, educativas e culturais, a Urca abriga também artistas e intelectuais, com seus respectivos ateliês, escritórios. Dessa soma de conhecimento, criatividade e sossego não foi difícil surgirem movimentos colaborativos que trazem ventos renovadores para o bairro, sem deixar de lado a sua tradição histórica. Entre as novidades está a AgroFloresta da Urca – , um coletivo de jovens criado com o propósito de "transformar locais abandonados e insalubres, com acúmulo de lixo, em espaços vivos e de cooperação" por meio do plantio de hortas e árvores frutiferas. Exemplo disso está na escadaria zig zag que recebeu, em suas laterais, bananeiras, mamoeiros e outras plantas comestíveis que embelezam a paisagem e abastecem a comunidade.

Urca - Rio de Janeiro - Estado do Rio de Janeiro - Brasil - América do Sul


Texto:
Sylvia Leite
Jornalista - MTB: 335 DRT-SE / Linkedin / Lattes

Participação especial:
Anita Leandro (Professora, Jornalista e Diretora de Cinema)

Fotos:

(1, 6, 7, 8 e 9) José Caldas, da equipe voluntária de fotógrafos profissionais do blog 'lugares de memória"
(2 e 15) Anita Leandro (Professora, Jornalista e Diretora de Cinema)
(3) Alexandre Macieira - Riotur - Divulgação
(4 e 5) Dario Sanches Wikimedia Tiê-sangue e Martin-pescador-grande CC BY-SA 2.0
(10) Eduardo Bezerra - Pedro Correa do Lago - Coleção Princesa Isabel: Fotografia do século XIX. Capivara, 2008, Domínio público, Wikimedia
(11) Wikimedia CC BY-SA 2.5
(12) Divulgação
(13) Site do Museu de Ciências da Terra - Divulgação
(14) Tânia Rêgo - Agência Brasil, Wikimedia, CC BY 3.0

Referências:

Site Riotur
-----------------------------------------------------
Gostou da matéria?
Compartilhe em suas redes sociais.
Você também pode deixar um comentário a seguir expressando sua opinião.



Para ler sobre outros lugares de memória, clique nos links abaixo:

Samarcanda
CasapuebloTaj Mahal
Tilonia
Passagens parisienses
Mussuca
Paranapiacaba
Os Claustros
Arara-azul-de-Lear
São Cristóvão

12 comentários:

  1. Muito legal o Cassino da Urca. Foi bom saber que a urca é uma ilha de tranquilidade. Adoro locais assim e nunca fui no RJ. Quando for quero visitar essa região.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você vai gostar. É um lugar especial. O Rio inteiro é, mas cada cantinho tem suas particularidades e as da Urca são muito interessantes.

      Excluir
  2. Quando vou visitar minha tia ,que mora em Botafogo,sempre faço uma caminhada até a praia Vermelha e pego a trilha Claudio Coutinho. Ele morreu fazendi mergulho naquele local.
    Mandei a matéria para meu tio, na juventude morou na Urca. Ele amou.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que legal! Pena que você não se identificou. Adoraria saber seu nome.

      Excluir
  3. Eu como uma boa carioca que sou, amo a Urca. É realmente uma ilha da tranquilidade é com um visual de tirar o folego. Vale super uma visita.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza. Só de escrever a matéria ja fiquei com saudade rsrs

      Excluir
  4. Um dos recantos mais lindinhos do Rio! amei!

    ResponderExcluir
  5. Adorei este post sobre a tranquilidade da Urca e como não visitei o rio nao sabia que ela fica na orla assim. É um lugar com muita historia e eu particularmente adoro visitar locais com historia e belas paisagens.

    ResponderExcluir
  6. Que post bacana, sensacional, cheio de história e detalhes. Há muito tempo não visito o RJ. A Urca, essa uma 'ilha' de tranquilidade em plena orla do Rio é um.excente passeio que preciso fazer em Família. Obrigada

    ResponderExcluir
  7. Nathalia Geromel10 de maio de 2021 08:30

    Eu quando vou ao rio de janeiro, amo passear pela Urca. Você tem definiu, é uma ilha de tranquilidade mesmo. Cheia de histórias e riquezas!!

    ResponderExcluir

Obrigada por seu interesse em nossa postagem!