24/10/2019

La Giralda: o minarete que virou campanário da catedral de Sevilha

Foto byungjei Lim por Pixabay - Matéria La Giralda - BLOG LUGARES DE MEMÓRIA"Não se sabe se La Giralda foi construída por homens que queriam subir aos céus ou por anjos que queriam descer à terra", dizem os sevilhanos quando são instigados a falar sobre um dos principais cartões postais da cidade. Provavelmente, uns se referem a Deus e outros Allah - pois trata-se de um minarete construído pelos Almohades, durante o domínio muçulmano, que passou a ser usado pelos Cristãos como campanário da Catedral de Santa Maria da Sede, ou Catedral de Sevilha.
Foto Laura Zacarelli -  - Matéria La Giralda - BLOG LUGARES DE MEMÓRIA
Desde 1987, o edifício está tombado pela Unesco, como Patrimônio Mundial da Humanidade, sob dois argumentos: "é uma obra-prima da arquitetura Almohad' e transformou-se em um "exemplo importante do sicretismo cultural". É que ao contrário da catedral, erguida sobre os escombros da mesquita Almohade - da qual só se aproveitou o Pátio de Los Naranjos - o minarete foi quase integralmente poupado pelos Cristãos. Mudou apenas de função e teve uma pequena parte superior substituída por um campanário para 24 sinos, projetado pelo arquiteto renascentista Hernan Ruiz.

Para subir na torre, é preciso vencer 35 rampas, construídas na época dos Almohades, segundo se conta em Sevilha para que o sultão pudesse chegar ao topo da torre montado a cavalo e de lá admirar do alto toda a cidade, inclusive o Pátio de los Naranjos e o Alcázar (próximas imagens).


Giraldillo: símbolo de La Giralda 



Entre o corpo da torre e a abóboda celeste, em uma situação que poderia ser tomada simbolicamente como intermediária entre as instâncias terrena e celeste, a torre ganhou, em 1568, o Giraldillo - um cata-vento de quase três metros e meio de altura, que pesa mais de uma tonelada.


Embora o nome seja masculino - em uma referência ao cata-vento e a sua propriedade giratória - a estátua oca que lhe dá forma é de uma mulher, que alguns identificam com Santa Joana D'Arc. Seu desenho, provavelmente feito por  Luis de Vargas, pode ter sido inspirado em outras obras como uma gravura  de Pallas Athena, de autoria de  Marco Antonio Raimondi, ou na imagem da deusa 

Foto Laura Zacarelli -  - Matéria La Giralda - BLOG LUGARES DE MEMÓRIAJuno em uma das Quatro Fontane, de Roma, de autoria atribuída ao escultor  Domenico Fontana.

Talvez pela beleza, aliada ao fascínio naturalmente exercido pelos cata-ventos, o Giraldillo ganhou fama e acabou dando nome à torre, que havia sido batizada pelo rei Fernando III como 'Triunfo de La Fé Victoriosa', em alusão à retomada de Sevilha pelos Cristãos. 
Foto Laura Zacarelli -  - Matéria La Giralda - BLOG LUGARES DE MEMÓRIA
O giraldillo tornou-se um símbolo da torre, da catedral e até da cidade. Virou mascote do Mundial de Atletismo de Sevilha, em 1999, e seu nome batizou os prêmios da Bienal de Flamenco e do Festival de Cinema Europeu de Sevilha; o Giraldillo de ouro.

Para se ter uma ideia da importância desse símbolo para o sevilhanos, basta dizer que, no final da década de 1980, o Instituto Adaluz de Patrimonio Historico (IAPH) mandou fazer uma cópia em bronze de toda a sua estrutura para substitui-la temporariamente enquanto a escultura original era restaurada. 

O processo durou cerca de oito anos e, segundo foi informado na época, custou o equivalente a 700 mil euros*. Depois que o Giraldillo original voltou ao seu lugar, a cópia foi colocada em frente a uma das portas da catedral - a chamada Puerta del Príncipe -, para que se possa admirar sua imagem, o que antes só era possível fazer por meio de fotos. Quem visitou Sevilha em 1988, teve a oportunidade de observar cópia e original, lado a lado, antes que a réplica subisse para sua estadia temporária no alto da torre.



Um modelo reproduzido por toda parte



Acredita-se que o projeto de La Giralda seja inspirado em um ou mais minaretes marroquinos - entre os quais o da Mesquita Koutoubia, em Marrakech -  e que tenha servido de modelo a outros monumentos pelo mundo afora. É o caso da Torre do Relógio no terminal de barcos de São Francisco, na Califórnia, e da torre da Universidade de Porto Rico.  

Fotos Sylvia Leite  - Matéria La Giralda - BLOG LUGARES DE MEMÓRIANova Iorque também já teve sua Giralda, desenhada por Standford White  para o segundo Madison Square Garden, mas foi demolida em 1925. E não podemos esquecer o Giraldillo cubano, inaugurado em 1632, na torre do Castelo da Força Real, que representa Isabel de Bobadilla - a única governadora mulher da história da ilha. 


A gigante de Sevilha 



Foto Anual - trabalho próprio CC BY 3.0 - Matéria La Giralda - BLOG LUGARES DE MEMÓRIAMesmo nos tempos atuais, com inúmeros arranha-céus espalhados pelo mundo, La Giralda ainda tem seu lugar quando se fala de altura. Com o acréscimo cristão, incluindo o Giraldillo, a torre ultrapassa os 100 metros e, por muito tempo, foi a mais alta de Sevilha, mas hoje está ultrapassada pela torre Pelli, com quase 80 metros a mais. 

Gigante é, também, o próprio Giraldillo, que com seus quase três metros e meio impressionou Miguel de Cervantes ao ponto de ser mencionado como personagem de um relato, no clássico Dom Quixote de La Mancha e, assim, ganhar status literário. Mas para se compreender a citação, é preciso saber que antes de ser batizada como Giraldillo, a imagem de mulher que está em cima da torre da Catedral de Sevilha era conhecida como Giralda. Com o tempo, é que Giralda passou a ser o nome da torre e a estátua tornou-se Giraldillo.

Pois foi nessa época que Cervantes escreveu o livro e, nele, o personagem Cavaleiro do Bosque conta a Dom Quixote a ordem que recebeu da mulher por quem se enamorou: "Certa vez mandou que eu fosse desafiar aquela famosa giganta de Sevilha, chamada Giralda, que é tão valente e forte como feita de bronze, e que, sem sair do lugar, é a mais móvel e volteante mulher do mundo..."



*O euro entrou em circulação na Espanha em 2002, quando o trabalho de restauro ainda tinha três anos pela frente.


La Giralda - Sevilha - Andaluzia - Espanha 



Texto: Sylvia Leite

Jornalista - MTB: 335 DRT-SE / Linkedin / Lattes 
    Fotos: 
    (1) byungjei Lim por Pixabay 
    (2, 3,4,) Laura Zacarelli 
    (5) Sylvia Leite 
    (6) Anual - trabalho próprio CC BY 3.0 

    Referência:

    Site da Unesco

    Livros:

    Dom Quixote de La Mancha, de Miguel de Cervantes 


    -------------------------------------------
    Gostou da matéria? Você pode deixar um comentário a seguir expressando sua opinião. E se quiser ajudar a aumentar a visibilidade do blog, é só divulgar esta postagem nas redes sociais. Basta  clicar, aqui abaixo, no ícone de sua rede preferida e compartilhar.


    Para ler sobre outros 'lugares de memória', clique nos links abaixo:

    8 comentários:

    1. Interessante e completa abordagem. Adorei. beijos

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Que bom, Vi. Você conhece bem, pode falar com propriedade rsrsr

        Excluir
    2. Esse mundo é, mesmo, muito rico... há muito o que ver, conhecer, descobrir... Texto maravilhoso, Sylvinha!
      Beijo
      sonia pedrosa

      ResponderExcluir
    3. Adorei voltar a Sevilha e girar com a "sua" Giralda. Obrigada.

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Que bom! Eu que agradeço. Adoraria saber seu nome. Da próxima vez não esqueça de deixar, ok?

        Excluir

    Obrigada por seu interesse em nossa postagem!