13/09/2018

Newgrange: simbolismo e sofisticação na Pré-história

Blog 'lugares de memória' - Matéria sobre Newgrange
Pouca gente tem a sorte de assistir, mas todo mês de dezembro, no solstício de inverno do hemisfério Norte (dia 21 ou 22) o sol entra por uma claraboia, percorre um corredor de 19 metros e ilumina uma câmara. O espetáculo dura cerca de 15 minutos e faz de Newgrange, onde acontece o fenômeno, um dos pontos mais visitados da Irlanda em qualquer mês do ano.

Blog 'lugares de memória' - Matéria sobre NewgrangeA construção pré-histórica está localizada no vale do Rio Boyne, Condado de Meath, no Leste do país, e pouco se sabe sobe ela. Como o fenômeno descrito acima marca o início do inverno e, portanto, define as estações, pode ser considerada um relógio ou observatório solar. Mas lá dentro foram encontrados ossos humanos - uns queimados, outros não - o que sugere seu uso como tumba e altar de sacrifício. Estudos recentes indicam que ali também eram realizados rituais e cerimônias religiosas, o que mudou sua classificação para templo.

Segundo inúmeras fontes, o prédio foi erguido no período Neolítico* ou Idade da Pedra Polida, fase da pré-história em que ainda nem se utilizavam os metais, e seus construtores foram provavelmente  agricultores. Isso teria ocorrido por volta de 3.200 antes de Cristo - antes, portanto, de Stonehenge, na Inglaterra, e das Pirâmides de Gizé, no Egito - o que lhe confere a condição de monumento mais antigo da terra ou, pelo menos, um dos mais antigos.

Blog 'lugares de memória' - Matéria sobre Newgrange

Sofisticação na simplicidade


À primeira vista, o templo de Newgrange parece um observatório moderno, com cerca de 80m de diâmetro e 13m de altura, mas um detalhe o diferencia de construções comuns: a cobertura de terra com grama por cima. Caso não houvesse o contorno de pedras aparentes, que delimita sua forma circular, passaria por um monte. Foi isso, aliás, que aconteceu por vários séculos depois que a grama desceu, cobrindo as pedras e escondendo totalmente o edifício, que só foi encontrado em 1699. Sua aparência externa atual é resultado de uma restauração feita na década de 1960 com base no que os arqueólogos acreditam ter sido a forma original.

É por dentro, onde tudo permanece intacto, que a estrutura mais impressiona. Um teto composto apenas de pedra, sem qualquer cimento ou rejunte, sustenta cerca de 200 mil toneladas de outas pedras e a grossa camada de terra gramada. Além de aguentar o peso, esse teto é impermeável, de modo que 5 mil anos depois não existe ali qualquer sinal de vazamento.

Blog 'lugares de memória' - Matéria sobre Newgrange
É surpreendente, também, a precisão com que o monumento está alinhado em relação ao nascer do sol no dia mais curto do ano e a maneira como a luz penetra pelo corredor, indo até a câmara que está localizada quase vinte metros adiante. Para que tudo isso ocorra, o templo possui uma inclinação (linha branca na parte de cima do desenho) e foi aberta uma claraboia em sua parede frontal (na foto, a abertura quadrada em cima da porta). 

Lendas e simbolismo


De acordo com estudos sobre a religiosidade irlandesa na Pré-história, a entrada anual da luz nas entranhas da tumba pode ter representado para aqueles agricultores um encontro do Deus Sol com a Deusa Terra, que resultava na fertilidade da região. Outro significado atribuído ao fenômeno seria a libertação dos mortos, ali enterrados, do inverno eterno.

Blog 'lugares de memória' - Matéria sobre NewgrangeO edifício faz parte do conjunto arqueológico de Brú na Bóinne (casa ou mansão de Bóinne, em referência ao rio Boyne), que foi tombado pela ONU em 1993 como Patrimônio da Humanidade e inclui outros monumentos pré-históricos da mesma época, também usados como túmulos: Douth e Knowt. O primeiro, assim como Newgrange, está alinhado ao solstício de inverno e o último está alinhado com os equinócios -

Brú na Bóinne é cercado de lendas e mitos, tanto da época de sua construção como do período Celta que veio a seguir. Há uma enorme variação de dados, mas entre os que se repetem está a relação dos três sítios com Dagda, o Deus Bom, sua esposa Boann e o filho Boengus, considerados seres sobrenaturais e possuidores de poderes sobre-humanos.

Uma das narrativas afirma que o conjunto arqueológico era um dos Sídhes ou morada dos Tuatha Dé Danann (povos da deusa Danu), que teria sido o quinto grupo de habitantes da Irlanda. Outra lenda, às vezes interligada à primeira, indica que nesse edifício nasceu o herói Cú Chulainn, presente nas lendas épicas irlandesas conhecidas como Ciclo de Ulster e frequentemente comparado ao grego Herácles (Hércules) e ao persa Rostam

Além de mitos, o local concentra símbolos. Figuras geométricas estão gravadas no interior do edifício

Blog 'lugares de memória' - Matéria sobre Newgrange
e nas pedras que o rodeiam, inclusive a que protege a porta de entrada. São triângulos, losangos, círculos e espirais. A forma mais comum é um conjunto de três espirais interligadas que, segundo alguns estudiosos, pode representar as três construções que integram o complexo de Brú na Bóinne, mas há também outras versões que dão aos desenhos significados astronômicos ou espirituais .

Especula-se, ainda, sobre as pedras verticais cravadas em volta do edifício - com configuração  estrutural semelhante às de Stonehenge e aos moais da Ilha de Páscoa - conhecidas como menirs, que podem 
ter funções astronômicas ou representar totens.


Blog 'lugares de memória' - Matéria sobre NewgrangeA observação do solstício


É possível visitar Newgrange durante o mês de dezembro, mas como a procura é grande, foi criada uma espécie de loteria que define por sorteio quais dos inscritos poderão ir ao local no dia do solstício. Lá dentro cabem apenas dez pessoas. Para quem faz a visita em outras ocasiões, há uma simulação com luz artificial que, obviamente, não substitui o espetáculo original e na opinião de alguns até quebra um pouco o clima.

Saber da existência do fenômeno, conhecer as lendas e visitar o local, por dentro e por fora, seja em que época for, já proporciona o que talvez seja o mais importante: entrar em contato com a realidade de um povo de quem pouco sabemos, mas que viveu em comunhão com a natureza e conhecia pelo menos alguns de seus segredos.
                                                             

Newgrange - Vale do Boyne - Condado de Meath - Irlanda 




     * Apenas para esclarecimento, a definição do período Neolítico varia a depender da fonte e, na maioria delas, o ano de 3.200 já corresponde à Idade dos Metais. Mesmo assim, em todos os textos acessíveis sobre Newgrange constam a data de 3.200 e a localização do prédio no período Neolítico, o que não destoa da construção, que é feita essencialmente de pedra.



  • Fotos: Pixabay, divulgação e Sylvia Leite.

-------------------------------------------
Deixe um comentário a seguir e, se gostou, divulgue esta postagem em seus perfis nas redes sociais. Nos quadradinhos abaixo, você pode clicar em sua rede preferida e compartilhar diretamente.

Para ler sobre outros 'lugares de memória', clique nos links abaixo:





10 comentários:

  1. Amei a viagem de hoje, com certeza marcarei como um destino desejado. Gratidão por nos proporcionar grandes aventuras e experiências, amo viajar e conhecer lugares novos... Bjos �� Dione Rodrigues

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu, Dione! Obrigada pelo comentário. Quinta que vem tem mais!

      Excluir
  2. Muito legal, Sylvinha! Amo a Irlanda, acho que já tive uma encarnação por lá...!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É interessante demais, não é? Obrigada pelo comentário. beijos

      Excluir
  3. Fantástico Silvinha. Cada linha que você tem disponibilizado, certamente um aprendizado para todos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom saber que você gosta. Obrigada pelo comentário. Beijos.

      Excluir
  4. Essa foto, ah essa foto....lindíssima!

    ResponderExcluir